Voltar

Edson Oseas da Silveira

capa_edson_oseas.jpg

Lembro que nosso "shopping" era uma ribanceira perto de casa, onde o povo descartava de tudo. Madeira era sempre recolhida e utilizada com perícia pelo meu pai, seja na construção da nossa casa, para fazer utensílios ou mesmo como lenha para o fogão.

Meu nome é Edson Oseas e a curiosidade sempre vêm antes de tudo. Sou Paulistano da gema mas a 6 anos troquei a vida corrida da capital paulista por um grande amor na capital do estado de Mato Grosso do Sul. Sempre fui um cara prático, aprendi com meu pai desde cedo a lidar com ferramentas e poucos recursos. Lembro que para realizar o sonho de sair do aluguel, mudamos para uma região inóspita da periferia de São Paulo, no início dos anos 80, com ruas de terra e infra estrutura zero. Como eu sou o caçula e único filho homem de 4 irmãos, vivia pra cima e para baixo com meu pai. Ele é do tipo "faz tudo", pedreiro, marceneiro, eletricista, mecânico e o que mais aparecer.

Lembro que nosso "shopping" era uma ribanceira perto de casa, onde o povo descartava de tudo. Madeira era sempre recolhida e utilizada com perícia pelo meu pai, seja na construção da nossa casa, para fazer utensílios ou mesmo como lenha para o fogão. Tudo era aproveitável e aproveitado. Dessa época guardo com carinho a recordação de uma carriola que meu pai construiu para mim, igual a que ele utilizava para carregar as madeiras, mas em tamanho menor. Foi meu brinquedo de madeira preferido por um bom tempo...

Com o passar dos anos, fui sendo levado pela vida sem ter um objetivo claro em mente. Vivia o momento, trabalhava com o que aparecesse e sempre estudando desde cedo. Minha mãe fazia questão dos estudos. O sonho dela era que eu fizesse um curso profissionalizante no Senai ou Senac. Mas nunca deu certo, não sei bem porque. Talvez nos faltasse informação na época, dinheiro ou os dois.

Com 18 anos ingressei no exército e permaneci por quase 3 anos, cheguei a ser promovido a cabo, mas aquilo também não era pra mim. Não consigo viver na rotina e preciso sempre inventar e reinventar. Passei por diversos empregos e cursinhos. Desde chaveiro, vidraceiro, jornaleiro, mecânico, contabilidade e até para criar avestruzes eu estudei. Porém o tempo passou e não criei raízes.

Casei... foi um casamento morno de 16 anos, eu era ambicioso e vivia procurando "A grande oportunidade da minha vida" mas ela nunca apareceu. Descasei...

Há 6 anos encontrei a grande companheira, o amor da minha vida. Encontrei também a profissão que não me deixa cair na monotonia da rotina. Conseguimos nossa casinha própria aqui na "Cidade Morena" e nos fundos da nossa casa estou construindo com minhas próprias mãos o meu reino. Um pequeno atelier de 12 metros quadrados onde guardo minhas ferramentas e meus sonhos.

Como legado, procuro deixar registrado tudo o que faço nesse universo da internet. Comecei fotografando as peças que produzia na CNC router e postando em álbuns do facebook, agora faço vídeos e mantenho um canal no Youtube que se chama Tudo em Torno.

A principio a ideia era fazer um canal dedicado a arte de tornear madeira, atividade que conheci a uns 3 anos e me apaixonei perdidamente. Porém como era difícil arrumar tempo para fazer apenas vídeos sobre torno, acabei preparando vídeos sobre diversos temas e o canal ficou bem variado, inclusive com vídeos sobre meu trabalho com CNC.

Em agosto de 2015, pela iniciativa dos amigos Alessandro Ramalho e Eduardo Casagrande fundamos o Grupo Marceneiros do Brasil, com o objetivo de fazer um grande encontro dos apaixonados por marcenaria e ferramentas. O Grupo cresce a cada dia e é um local de troca de experiências onde aprendo bastante com pessoas do Brasil inteiro e do exterior também.

Ultimamente estou cursando Design pela UCDB - Universidade Católica Dom Bosco e devo me formar em 2018. Até lá vou inventando e reinventando com minhas ferramentas, no trabalho e em casa, cada vez mais curioso e motivado.