Voltar

Leandro Hergovic

leandro_capa.jpg

Muitas vezes entravam na oficina e falavam: “tá falando sozinho Leandro?” E eu respondia: Não estou conversando com esse motor, ele precisa me dizer o que está acontecendo!

Me chamo Leandro Hergovic, tenhho 35 anos e desde que me conheço por gente, desmonto as coisas, altero, customizo, personalizo, invento, crio e gosto de ver estes inventos finalizados, em uso! Depois dos 16 anos de idade é que resolvi: seria um mecânico. Faria os meus carros.

Comecei a juntar dinheiro, trabalhar, pesquisar, e comprei meu primeiro carro aos 18 anos, uma F75 toda arruinada. Parecia mais uma sucata que um carro, mas depois da reforma ficou lindona. Borá pra trilha!

Após isso fui fazer um curso técnico em automobilística pois queria seguir na profissão. Mas não era só isso! Eu queria saber mais, aprender mais, entender o porque de muitas coisas! E dois anos depois me tornaria Técnico em Automobilística pelo SENAI, a maior escola do segmento na América Latina.

Bom, parece maravilhoso, mas eu não tinha muito. Só o diploma, uma caixa de ferramentas, uma Rural, uma Saveiro e nenhum incentivo familiar. “Imagina se mecânico sustenta alguém! Ninguém ganha dinheiro com isso! Trabalhando com carros velhos, jipes, rural então...” kkkk

Mas teimosia é meu sobrenome! Hoje sei que muita teimosia é burrice, de tanto bater com a cabeça na parede aprendi que ela é dura. Aprendi! Então saí de um emprego estável e abri minha primeira oficina em sociedade com um amigo mais experiente, porém com menos capacitação técnica. E vamos lá para o primeiro desentendimento e fracasso. Recomecei na casa dos meus pais e em pouco mais de um ano não tinha mais onde colocar carros, trabalhava na rua. Nesse momento tinha vendido um carro e corria para pagar umas continhas, mas tudo caminhava para expandir as coisas e lá fomos nós no começo do terceiro ano trabalhando em casa. Aluguei um galpão e abri oficialmente a Atmosfera OFF-ROAD.

Até aqui já entendemos sobre paixão por carros, trilhas, desafios, mas sou mais teimoso que isso. E...

Segui por mais 10 anos trabalhando dia a dia. Aumentei muito meu conhecimento e devido ao tipo de trabalho que eu executava, ao meu padrão de detalhe, não encontrava uma pessoa para trabalhar comigo. Não conseguia montar uma equipe.

Nestes 10 anos, muitas vezes fui tachado de louco, escutei que “ninguém conseguiu fazer tal service” e que eu não seria o primeiro. Esse é meu maior incentivo! Pensa num povo que mordeu a língua, pensa! Bom, fiz muitos serviços ditos impossíveis.

No decorrer dos anos as simples adaptações engrandeceram. Como eu tinha carga técnica e sabia rebater os problemas causados por maus profissionais, sempre contestei maus argumentos, explicando o porque era assim e não assado. Não que eu saiba tudo, mas eu aprendi a pesquisar, perguntar e me informar.

Adaptações ou consertos são necessários em todas as máquinas, sempre foi assim e sempre será! Adoro desmontar, limpar e ver os parafusos e peças se juntarem até criarem vida. Mesmo que artificial é uma vida, funciona. Em alguns motores eu costumava dizer que havia vontade própria. Conversar com carros é comum, com o motor, com o câmbio, com diferenciais... pode acreditar meu amigo, as coisas conversam conosco! Você deve estar me chamando de louco, mas não sou! Acredite: em determinado momento eu li “se você quer entender sobre algo, entenda a natureza daquilo!” Não estava escrito exatamente assim, mas era isso que dizia e não lembro o autor, mas isso não importa. Muitas vezes entravam na oficina e diziam: “tá falando sozinho Leandro?” E eu respondia: “Não estou conversando com esse motor, ele precisa me dizer o que está acontecendo! Vem ver, ele está falando comigo!” kkkkk

Bom, no decorrer destes anos aprendi que sou mais que um mecânico, sou um empreendedor nato. Abri uma segunda empresa e resolvi fazer da mecânica meu hobby. Faço alguns trabalhos que realmente me interessarem. Gosto de desafios. A nossa empresa continua aberta, vamos retomar nossas atividades com um toque mais requintado, mantendo nosso padrão de qualidade e satisfação dos clientes.

Aí você vai dizer: “Nós? Você disse que estava sozinho?” É, disse sim... mas aprendi que um profissional nada faz se não estiver com as ferramentas certas, ferramentas de qualidade! Serviço bem executado é sinal de profissional bem assessorado pelas ferramentas. Um simples calibre de laminas, aliado com uma base magnética e um relógio comparador é tudo para um diferencial bem regulado, serviço de primeira e cliente feliz.

Uma trena, uma simples trena é muito importante em uma adaptação de suspensão, um calibre de ângulo. Faz a diferença no serviço perfeito. E olha que conheci muitas empresas de suspensão que fecharam por não entenderem que este item é como a nossa impressão digital nos jipes, cada carro tem a sua!

Então meu amigo, lembra daquela “serrinha” que ninguém dá muito valor, aliás custa pouco pelo que faz, então ela faz muita diferença quando você não tem como usar uma policorte ou uma esmerilhadeira, ela poupa esforço físico, poupa tempo (ela não quebra fácil, lembra?). Imagina toda hora você tiver que trocar serra, comprar serra… aff!

Não tenho mais site, tirei do ar por enquanto, mas temos nosso canal do youtube. Estou preparando uma sequência de matérias sobre carros, voltado para manutenção mesmo, informações e toques que todo ser que usa um carro, independente do ano ou modelo pode usufruir. Meu canal é: https://www.youtube.com/user/LeandroAtm, outro canal é a nossa pagina do facebook: https://www.facebook.com/equipeatmosferaoffroad.

Veja que nestes anos fizemos, inclusive um Projeto Marcas OFF-ROAD, com a intenção de plantar o uso consciente das trilhas e do meio ambiente com a simples ação de recolher nosso lixo e não poluir. Sem ser ”ecochato”, sendo normal e consciente!

Continuando sobre meus trabalhos, eu fazia de tudo: adaptações ou alterações, manutenção corretiva e preventiva em suspensão, direção, motor, câmbio, elétrica, eletrônica, diferencial, entre outros. Costumo dizer que não fazia apenas a tapeçaria e a funilaria. Eu gosto muito de pegar um carro velho (antigo sem cuidados) e restaurá-lo, colocando mecânica mais moderna, estilo overhauling mesmo. Ou mesmo pegar aquele carro antigo e fazer ele funcionar redondo, acertando alimentação, afinando motor, ajustando “na conversa” entre eu e o motor.